Seu navegador não tem suporte a JavaScript.

Notícia

Notícia Opinião e Política

28/05/2019 13:57 h

O Brasil e o Bolsonaro

O Brasil e o Bolsonaro

As manifestações espontâneas deste domingo, dia 26 de Abril, podem até não ter o efeito devastador de uma tsunami. Mas com certeza mostrou que a era bolsonariana começou, e começou com força e vigor. Mostrou que a eleição do capitão reformado do Exército Brasileiro, Jair Messias Bolsonaro não foi só uma empolgação momentânea, mas deve ocupar seu espaço na vida e na história do pais por muito tempo. Provou com o volume de pessoas que de forma voluntária, sem nenhuma facilitação com uniformes, alimentação, transporte ou ajuda de custo que veio para ficar e que reflete o anseio da grande maioria dos brasileiros pela mudança, pelo fim da velha politica viciada e descompromissada da vontade popular.

Os bolsonaristas, como alguns dizem em um ponto não diferem muito dos lulistas, e assim como estes últimos fecham os olhos e ouvidos as provas contundentes do envolvimento do ex presidente em falcatruas e atos de corrupção, eles também parecem não se importar com as infantilidades dos familiares dele, não dão a mínima para as matérias que alardeiam seu despreparo para a diplomacia ou mesmo a falta de polidez nos diálogos, vêem isto como originalidade e simplicidade de caráter. Acham isto uma qualidade, uma vez que se comportava assim quando era um simples deputado do baixíssimo clero e isolado da grande mídia e assim continua a se comportar quando elevado ao mais alto cargo administrativo nacional.

Os militantes bolsanarianos,  adeptos desta nova maneira de governar não se incomodam quando os gigantes da comunicação  dizem que enquanto a economia está estagnada o presidente se preocupa com liberar armas ou desativar lombadas eletrônicas nas rodovias federais. Não estão nem aí quando estes mesmos grandes organismos de informação destorcem falas, manipulam números e dizem que o Brasil perde divisas e está com sua soberania ameaçada; Focam sempre em algo maior que está ainda por vir, focam no árduo trabalho de se desenvencilhar dos resquícios de uma politica voltada para a implantação de um regime de esquerda com lampejos comunistas e construir um país com bases conservadoras e com a valorização da ordem e dos bons costumes. Ou seja com a recuperação dos valores que marcaram a formação dos brasileiros .Buscam o resgate do tradicional.

Então...não me venham com churumelas de que o governo está desestabilizado e que está perdendo apoio e popularidade....A verdade é que sem pão com mortadela e sem a gigante da comunicação convocando todas as capitais em todas as unidades da federação houve gente nas ruas espontaneamente sem boné do MST ou camiseta da CUT.

Embora eu particularmente ache um tanto quanto perigoso a polarização, a politica de vocês contra nós e perigosa para a democracia, acho importante essa demonstração de força. Indiscutivelmente isto é sintomático enquanto um grupo cresce o outro diminue.

Mas ninguém pode negar que os bolsonarianos são ecléticos....Haja visto que o dito bloco parlamentar chamado Centrão está junto na luta pela aprovação da reforma da previdência, empunham todos a mesma bandeira.

A verdade é uma só enquanto o presidente corre em defesa dos filhos, estabelece debates desnecessários com jornalistas imparciais de esquerda, libera armas, assusta a CEF, derruba ações da Petrobrás e fala palavras, ditas não recomendáveis.... o país caminha para o rumo certo e em busca da recuperação econômica .

Segundo aquele adágio árabe ...os cães ladram e a caravana passa.

Para tanto basta os lulistas e os bolsonarianos não atrapalharem. 

RECIFE, 14h30: manifestantes se reúnem na Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, neste domingo (26) — Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press

Por: Alayr Laurindo (Gringo)



Fonte: da Redação


  • O Brasil e o Bolsonaro






www.jornalcorreiodovale.com.br