Seu navegador não tem suporte a JavaScript.

Notícia

Esporte

01/11/2018 23:32 h

Homem diz que matou o jogador Daniel para socorrer esposa de estupro

Homem diz que matou o jogador Daniel para socorrer esposa de estupro

Preso na manhã desta quinta-feira pela Polícia Civil de São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, o empresário Edison Brittes Júnior, de 38 anos, admitiu ter assassinado o jogador Daniel no último sábado.

Em entrevista à RPC, o suspeito afirmou que flagrou Daniel com a esposa e, por isso, perdeu o controle: "Fiquei aterrorizado quando vi ele com a minha mulher. Eu bati muito nele. Muito, muito. Tirei ele para fora da casa, não sei se estava acordado, desacordado, se só tinha fechado o olho".

A filha de 18 anos e a esposa foram detidas de forma temporária na investigação da polícia, bem como o empresário. De acordo com Claudio Dalledone, advogado de Edison Brittes, seu cliente reagiu a um suposto ato violento de Daniel.

"Trata-se de um pai de família que se viu na contingência de ter que reagir a um estupro que estava ocorrendo conta a mulher dele. A mulher gritou por socorro. Ele arrombou a porta, e esse indivíduo estava em cima da mulher dele tentando estuprar essa mulher", disse, à RPC.

Ainda de acordo com o advogado, os fatos teriam acontecido na festa de aniversário da jovem de 18 anos. Após a agressão, Brittes disse que colocou o corpo de Daniel no porta-malas do carro para tirá-lo de sua casa.

O corpo do jogador foi encontrado no último sábado, numa estrada de terra na Colônia Mergulhão, em São José dos Pinhais. O empresário ainda afirmou ter assassinado Daniel com uma faca, confirmando a causa de morte identificada no relatório do Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba.

A Polícia Civil ainda não informou a motivação do crime. As prisões temporárias têm duração de 30 dias. Um inquérito policial foi instaurado na delegacia de São José dos Pinhais, onde está sendo realizada a investigação do crime.

O corpo de Daniel foi velado e sepultado na última quarta-feira, em Conselheiro Lafaiate, em Minas Gerais, cidade da família do atleta.

Mineiro de Juiz de Fora, Daniel foi morto aos 24 anos. Revelado pelo Cruzeiro, o meio-campista foi contratado pelo São Paulo após se destacar no Botafogo. Também passou por Ponte Preta e Coritiba. Ele estava emprestado pelo Tricolor paulista ao São Bento, que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro.


Fonte: Terra


  • Homem diz que matou o jogador Daniel para socorrer esposa de estupro






www.jornalcorreiodovale.com.br