Seu navegador não tem suporte a JavaScript.

Notícia

Saúde

04/06/2018 14:22 h

Mais de 1.200 pacientes são atendidos em três meses no Centro Especializado de Odontologia

Mais de 1.200 pacientes são atendidos em três meses no Centro Especializado de Odontologia

O Centro Especializado de Odontologia (CEO) da Policlínica Oswaldo Cruz, em Porto Velho, em três meses de funcionamento, desde a inauguração no mês de fevereiro até o final de abril, já atendeu a 1.223 pacientes, todos encaminhados para o atendimento especializado agendadas pelas Unidade Básicas de Saúde (UBS) através do sistema de regulação do estado.

Segundo dados do setor de regulação, 525 pessoas participaram das atividades de educação com palestras instrutivas sobre higiene bucal. O número de consultas com especialistas da atenção especializada é de 350, e os 1.223 pacientes atendidos passaram por outros procedimentos como restauração, extração, raspagem subgengival, tratamento endodôntico (canal) e atendimento de urgência.

O cirurgião traumatologista bucomaxilofacial da CEO, Rodrigo Jacob, diz que até o segundo semestre deste ano, as biópsias de casos suspeitos de câncer e outras lesões bucais serão realizadas no CEO, o que deverá gerar economia com gastos de internação e materiais hospitalares.

“Eu já atendo essa demanda no Hospital de Base Ary Pinheiro, onde as pessoas precisam ser internadas para o procedimento cirúrgico. Com o procedimento sedo realizado na CEO, teremos agilidade, sem necessidade de internações para pequenas peças cirúrgicas, e o material colhido aqui será encaminhado diretamente para o Laboratório de Patologias, com o devido pedido de urgência em casos de suspeitas de câncer. Isso dá não só mais agilidade ao procedimento, mas diagnósticos mais rápidos para o início do tratamento”, explica Jacob.

Segundo o profissional, o esforço do setor de saúde estadual foi fundamental para que o CEO fosse instalado e inaugurado para oferecer o serviço especializado e de maior abrangência, com cirurgias bucais de alta complexidade e com a biópsia. Mesmo ainda não sendo realizadas no CEO, já que ainda está sendo equipado para o procedimento, as biópsias de lesões bucais na rede estadual não têm demanda reprimida devido ao atendimento feito pelo especialista em bucomaxilofacial anteriormente no HB.

“Atendo, por mês, cerca de cinco pacientes com a necessidade de biópsia, e lá mesmo já dou o encaminhamento para internação e realizamos todo o procedimento. A diferença é que lá, desde as pequenas até as grandes peças exigem internação, já aqui não será necessário. Farei os menores procedimentos aqui mesmo, e apenas as maiores peças encaminharemos para o HB, o que vai reduzir os gastos em 60%”, afirma o profissional.

Alterações de ossos faciais, maxilares, também podem ser tratados e corregidos passando pelo CEO. Segundo o cirurgião traumatologista, tanto o excitamento maxilar quanto a correção de facial em razão de algum acidente podem passar pela cirurgia. “No caso dos acidentados, os primeiros atendimentos especializados já acontecem no Pronto-Socorro João Paulo II, onde inclusive eles passam por cirurgias, mas se ficar alguma deformidade, o paciente deve procurar a UBS para ser agendado para uma avaliação conosco”, conclui.

Leia mais:
 Governo faz inclusão social ao inaugurar Centro de Especialidades Odontológicas em Porto Velho


Fonte: Secom - Governo de Rondônia


  • Mais de 1.200 pacientes são atendidos em três meses no Centro Especializado de Odontologia






www.jornalcorreiodovale.com.br