Seu navegador não tem suporte a JavaScript.

Notícia

Notícia Opinião e Política

20/04/2017 22:37 h

Famílias brasileiras em alerta, Baleia Azul, o jogo da morte

Famílias brasileiras em alerta, Baleia Azul, o jogo da morte

Redação

O tema denominado jogo da Baleia Azul é sem sombra de dúvidas o assuntos que mais tem gerado preocupação no mundo e também no Brasil. O jogo Baleia Azul é um passatempo virtual disputado pela internet através das redes sociais e que impõe ao jogador que se sujeita, cinquenta desafios macabros, que vão desde o autoflagelo, como desenhar o símbolo do jogo com faca ou lamina de barbear na coxa ou no antebraço e a mutilação de partes do corpo até o suicídio.

O jogador depois que entra não pode mais desistir e ainda tem que comprovar o cumprimento das tarefas com filmagens ou fotos. Tudo tem uma forte conotação sinistra, pois está incluso entre as tarefas ouvir músicas com letras macabras ou rock do tipo metaleiro, ou ainda passar longos períodos sem dormir assistindo filmes de terror.

 Os jogadores geralmente são escolhidos entre crianças e adolescentes, que, além de estarem mais suscetíveis a influências de terceiros, passam muito tempo ligados nas redes sociais ou jogos on line. Tudo começa de maneira aparentemente inocente. Sendo determinado aos jogadores tarefas leves como assistir a filmes de terror, ouvir tipos específicos de musica ou desenhar uma baleia azul em um papel. Mas depois as coisas começam a se complicar e as tarefas ficam piores, como arriscar a vida se pendurando em lugares altos e edifícios, se automutilarem, ou arriscarem passando na frente de trens em movimento, caminhões em auto pistas e por fim tirarem a própria vida.

Não se sabe ao certo onde isso começou, suspeita-se que seja na Rússia, em 2015, quando uma jovem de 15 anos cumpriu a última tarefa e pulou do alto de um edifício. Dias depois, uma adolescente de 14 anos se atirou na frente de um trem. Tais ocorrências despertaram suspeitas nas autoridades que viram ligações entre os dois casos. Daí começou a se investigar e ligou os incidentes a um grupo que participava de um desafio com 50 missões. Daí pra cá, só vem contabilizando tragédias ligadas a este jogo virtual em vários países da Europa e do Leste Europeu. Chegando a extraoficialmente contabilizar mais de cento e cinquenta suicídios vinculados a comunidades virtuais identificadas como "grupos da morte" e com características similares ao jogo das cinquenta tarefas e sinais de mutilação. 

O alerta já chegou ao Brasil, recentemente uma menina de 16 anos morreu no Mato Grosso após se afogar aparentemente deliberadamente, uma vez que sabia nadar muito bem, em uma lagoa na região de Vila Rica, a cerca de mil quilômetros da capital, Cuiabá. A principal suspeita da polícia é a de que a jovem, que apresentava cortes nos braços, participava do jogo da Baleia Azul.

 A polícia brasileira também investiga a participação de alunos de João Pessoa em grupos de automutilação e morte, além das denúncias de que os curadores do game estariam ameaçando os jovens que tentassem desistir dos desafios. Jogos que apresentam riscos letais viraram moda entre muitos adolescentes. No ano passado, um garoto de 13 anos morreu após se enforcar na casa do pai, no litoral sul da capital paulista.

 As autoridades recomendam às famílias a monitorarem o uso da internet dos filhos, frequentarem suas redes sociais, observarem comportamentos estranhos e, sobretudo, conversarem e conscientizarem os adolescentes a respeito das consequências de práticas perigosas. Com os jovens que apresentam tendência à depressão, a atenção deve ser redobrada, pois eles costumam ser especialmente atraídos por jogos como o da Baleia Azul.

Por Alay Junior

Fotos: ilustrativas



Fonte: Jornal Correio do Vale

  • Famílias brasileiras em alerta, Baleia Azul, o jogo da morte






www.jornalcorreiodovale.com.br